18 de novembro de 2009

Direto do Coração

Restaurando o Relacionamento com o Pai

Deus quer se relacionar conosco porque Ele nos ama. Ele sabe de todas as coisas erradas que fazemos antes mesmo que as façamos, mas, mesmo assim, ele nos escolheu para nos salvar de nossos pecados para que Ele pudesse ter um relacionamento conosco. Esse é um amor maravilhoso!

Quando nosso relacionamento com Deus é livre, o resultado é um rio de vida fluindo de nosso mais profundo ser. Isso abençoa não somente a nós, como a todos ao nosso redor.1 Esse rio da vida é o que faz com que as pessoas olhem para nós desejando o que temos, mesmo que não tenhamos dito nenhuma palavra sobre nossa fé.
A verdade é que existem muitas coisas que podem atrapalhar o fluir da vida de Deus em nós. Como cristãos, se desejamos desfrutar completamente nosso relacionamento com o Pai, temos de lidar com tudo o que possa interromper esse nosso desejo. Vamos observar a seguir o que bloqueia o fluir de nosso relacionamento com o Pai.

O principal obstáculo

Creio que o maior obstáculo que impede o fluir das bênçãos de Deus em nossa vida é simplesmente a desobediência. Para nós, cristãos, existem duas áreas principais de obediência. Primeiro é obedecer ao que a Palavra de Deus fala especificamente. Isso inclui coisas como renovação da mente, caminhar em amor, assim com não mentir, roubar ou encobrir o que outros fazem. A segunda área que precisamos caminhar em obediência é fazer as coisas que Deus nos pede especificamente e individualmente para fazer.

Embora Deus deseje realizar todas as suas promessas para nossa vida, muitas delas vêm com condições. Por exemplo, Lucas 6:35 diz que, se amarmos nossos inimigos, então nossa recompensa seria grande. Em outras palavras, temos certa responsabilidade de obedecer primeiro, e depois Deus realizará o que prometeu. A recompensa de nossa obediência não será somente alcançar as promessas, mas também manter um canal limpo para o nosso relacionamento com o Pai.2
Quais são algumas das razões que nos fazem desobedecer? Para começar, lutamos de vez em quando com a idéia de tomar a responsabilidade e fazer nossa parte para experimentar as bênçãos de Deus. Podemos até desenvolver um caso sério de ouvir seletivamente – ouvindo somente o que desejamos ouvir, evitando, assim, as coisas com as quais não queremos lidar. Podemos também nos distrair facilmente por causa dos desejos de nossa carne e tentações enviadas pelo inimigo, deixando de obedecer a Deus.

Seja qual for a razão de nossa desobediência, para que sejamos obedientes, temos de escolher mortificar nossa carne e aprender a resistir à tentação. A tentação não vai desaparecer, mas podemos escolher não desistir. O pecado não vai morrer, mas podemos morrer para o pecado. Na realidade, a Palavra de Deus diz que nossa carne foi crucificada com Cristo. Como em Romanos 6:11 diz, devemos pensar em nós mesmos como mortos para o pecado e de relações cortadas com ele, mas vivos em Cristo Jesus. Como? Recebendo sua graça todas as horas do dia, não se rendendo aos desejos da carne nem às tentações do inimigo. Coloque em sua mente que morrer para os desejos da carne e aprender como vencer a tentação constituem um processo. Você não deve se sentir desencorajado se ainda não conseguiu. Cada momento que escolher obedecer a Deus, você está progredindo e caminhando na direção certa – um pouco mais de sua carne está morrendo, e a vida de Cristo está sendo liberada em você.

A chave para a vitória

Obediência constante não é somente a única forma de mantermos um relacionamento contínuo com o Pai, mas é também a chave para a vitória em nossa vida. Não existe nada que possa impedir a bênção de Deus sobre nós se formos extremamente obedientes a Ele.

Quando Deus me chamou para o ministério, perdi todos os meus amigos. As pessoas pensaram que eu tinha ficado louca porque, no meio de onde vim, as mulheres não pregavam. Depois de ter sido batizada pelo Espírito Santo, meus amigos e alguns da minha família não queriam mais fazer nada comigo. Em outras palavras, quando comecei a levar seriamente minha caminhada com Deus, o inimigo veio atrás de mim com tudo o que tinha.
Naquele momento eu tinha uma decisão a tomar: comprometer-me com o Senhor e manter os amigos, ou ser obediente ao que Deus estava me mandando fazer mesmo perdendo meus amigos. Nossa decisão de obedecer ou desobedecer a Deus determina se vamos continuar na direção dos planos de Deus ou não.

Quando o que é certo parece errado

Se desejarmos experimentar constante relacionamento com o Pai, caminhando em suas promessas, então teremos de aprender como fazer a coisa certa, mesmo quando parece estar errada (quando você sente que está errado). Alguns dos sentimentos errados que podemos sentir é o medo, o desencorajamento e a dúvida. O Senhor disse a Josué que todos os lugares em que pisasse lhe seriam dados (Josué 1:3). Em vários versículos, Deus instruiu Josué a ser forte e corajoso, a não temer nem desanimar.

Da mesma forma, todas as promessas de Deus estão disponíveis para nós por intermédio do sangue de Jesus. Mas, para recebermos essas promessas, temos de deixar todos os sentimentos errados que nos impedem de alcançá-las. Como Josué, a arma mais forte que temos numa batalha é simplesmente fazer o que Deus nos manda fazer, não importa quão difícil isso possa parecer ou como podemos nos sentir.

Esse tipo de obediência nos dá condições de deixar o lugar no qual Satanás uma vez nos prendeu na escravidão para “alcançarmos a terra prometida”. Isso também significa continuar atingindo novos níveis de obediência e, talvez, fazendo até mesmo o que não seja mais conveniente e confortável para nossa carne. Se estivermos alimentando nosso espírito com a Palavra de Deus e constantemente nos relacionando com Ele, nosso espírito estará mais forte que nossa carne, e nossa mente será renovada pela verdade.

Um novo padrão

Lembro-me de alguns anos atrás, quando lutava contra minha carne em muitas áreas, tudo ao mesmo tempo. Eu lutava para ser uma esposa submissa e tentava não reclamar quando não gostava do que estava acontecendo em minha vida. Eu também estava aprendendo a evitar brigas e discussões mantendo minha boca fechada quando não concordava com o que alguém dizia.

Durante aquele tempo o Espírito Santo me ministrou por meio da palavra em Pedro 4:1-2:

“Portanto, uma vez que Cristo sofreu corporalmente, armem-se também do mesmo pensamento [pacientemente sofrendo ao invés de negligenciar a gratidão a Deus], pois aquele que sofreu em seu corpo [tendo a mente de Cristo] rompeu com o pecado [intencional] [deixando de satisfazer a si mesmo e ao mundo, mas glorificando a Deus], para que, no tempo que lhe resta, não viva mais para satisfazer os maus desejos humanos, mas sim para fazer a vontade de Deus”.

Como Pedro, precisamos desenvolver escolher sofrer na carne em vez de desobedecer a Deus. Em outras palavras, haverá momentos que fazer o que é correto não nos deixará confortável mental, emocional ou fisicamente. Mas fazer a coisa certa – mesmo que isso nos doa – nos ajudará a evitar um sofrimento maior pela desobediência.
I Pedro 5:10 diz: “O Deus de toda graça, que os chamou para sua glória eterna em Cristo Jesus, depois de terem sofrido durante um pouco de tempo, os restaurará, os confirmará, lhes dará forças e os porá em firme alicerces”. Quando sofremos por causa da obediência, temos a recompensa de saber que estamos satisfazendo a Deus e que nada impedirá nosso relacionamento com Ele. Isso nos permite experimentar suas bênçãos em nossa vida.

Entre nós e a vitória

Você deseja seguir o exemplo de Jesus e ser obediente mesmo que isso doa? Você deseja escolher louvar a Deus mesmo quando não sentir vontade de fazê-lo? Ser bom para as pessoas mesmo que elas não sejam boas para você e perdoar-lhes acima de qualquer circunstancia? Isaías 1:19 diz que “se vocês estiverem dispostos a obedecer, comerão os melhores frutos desta terra”.

Você não consegue corrigir as coisas erradas em sua vida de uma só vez, mas você pode cooperar com Deus para vê-lo mudar as coisas. Ele está cuidando disso agora. Caminhar em obediência, com gratidão, não é algo que devemos fazer com nossas próprias forças. Deus, realmente, deseja que lhe obedeçamos e trabalhemos nossa salvação, mas Ele é quem nos capacita para fazê-lo. Veja o que diz Filipenses 2:13: “... pois é Deus quem efetua em vocês (dando-lhe energia, poder e desejo) tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade dele”.

Quero encorajá-lo a descobrir o que Deus está focando em sua vida, portanto, faça corretamente o que for preciso para alcançar isso. Seja radical sobre obedecer-lhe e faça com tudo o que Ele disser, até experimentar uma mudança real.
Continue se esforçando até que todos os empecilhos sejam removidos e que seu relacionamento interrompido com Pai seja restaurado. Lembre-se: Deus o ama, e os planos dele são para que todos os lugares em que você colocar o pé sejam seus. Receba a graça de Deus para fazer o que é certo e comece radicalmente a ser obediente agora. À medida que você fizer isso, terá condições de resistir o inimigo, morrer para sua carne e viver em sua “terra prometida”, desfrutando eternamente o relacionamento contínuo com o Pai!

Notas
[1] Leia João 7:38.
2 Leia Isaías 59:2
3 Leia Gálatas 2:20.
4 Leia Tiago 4:6.
5 Leia Deuteronômio 30:16.

Extraído do site de Joyce Meyer

Nenhum comentário:

NO CAMPO DA MENTE É QUE NÓS NOS DECLARAMOS DERROTADOS OU VITORIOSOS.