22 de janeiro de 2009

BONDADE...

BONDADE

INTRODUÇÃO:

Deus é amor infinito e perfeito. Deus é bom em si mesmo; absolutamente nada lhe pode ser acrescentado ou melhorado, pois ele não é incompleto ou defeituoso. Ele é o Sumo bem para suas criaturas; a fonte de todo bem. Sua bondade se manifesta para todas as suas criaturas, pois é a perfeição que o leva a tratar benévolo e generosamente todas as suas criaturas. Este atributo de Deus implica que Ele é o parâmetro definitivo do que é bom, e tudo o que Ele é e faz é digno de aprovação.
Gn 1.31; E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. E foi a tarde e a manhã, o dia sexto.
Sl 145.9, 15-16; É bom para todos (9); Alimenta os necessitados na sua benevolência -> sign. Boa vontade; complacência.(15-16)14 O SENHOR sustenta a todos os que caem, e levanta a todos os abatidos.15 Os olhos de todos esperam em ti, e lhes dás o seu mantimento a seu tempo.16 Abres a tua mäo, e fartas os desejos de todos os viventes.
Sl 100.5; Sl 106.1; Lc 18.18-19; Rm 12.2; Tg 1.17; 1Jo 1.5; At 14.17.
BONDADE!!!!! NO ORIGINAL!!!

…Abundante em bondade e fidelidade hesed v’emet. As palavras Hebraicas freqüentemente aparecem juntas para expressar um só conceito. Ambas têm uma vasta gama de significados e, quando são usadas juntas, as palavras expressam a absoluta e eterna dependência de Deus em dispensar Suas bênçãos

Compassivo e benevolente rahum ve-hanun No Decálogo (20,5-6) a ordem dos atributos, ao contrário do que temos aqui, apresenta julgamento antes de bondade. Aqui, ênfase e prioridade são dadas mais às qualidades magnânimas de Deus do que às ações de julgamento de Deus.

Compassivo (rahum) é lingüisticamente um ‘princípio feminino’, a palavra é da mesma raiz daquela usada para designar o útero materno.

Benevolente (hanun) refere-se ao oferecimento da misericórdia gratuita e sem a expectativa de receber alguma coisa em troca, nem mesmo o mérito pessoal do pecador.
…paciente em irar-se Deus é lento em irar-se e dá aos seres humanos tempo e oportunidade para o arrependimento. Deus não se apressa para punir o pecador porque talvez ele se arrependa das suas más ações.
Hesed aqui traduzido como ‘bondade’ significa também ‘lealdade’ e é um termo chave na Bíblia. Pode expressar relacionamento íntimo, obrigação com relação à aliança, ou até mesmo benevolência não merecida.
Emet é normalmente traduzido como ‘verdade’ e abrange a noção de realidade, durabilidade, e fidelidade. Deus recompensará aqueles que merecem. Deus não negará a ninguém o que lhe é devido.

...Estendendo a bondade até a milésima geração. A frase é ambígua e poderia significar tanto a
contínua e imutável bondade de Deus quanto que o mérito humano perdura além da própria geração da pessoa.
Rashi diz que isto poderia ser “hipérbole para a glória da ênfase.”
perdoando iniqüidade, transgressão, e pecado. Palavras que podem parecer significar a mesma coisa em Inglês têm significados diferentes em Hebraico. Deus perdoa todas as maneiras de desvios pelos quais as pessoas fracassam em viver as leis de Deus. Deus é compreensivo com a disposição para o mal das pessoas, pecado intencional e consciente (avon), pecado proposital, rebeldia (pasha), quanto com seus
pecados ou culpas impensado (chata-ah).

Ele não cancela toda punição. A misericórdia Divina não significa que os pecadores podem esperar escapar inteiramente das conseqüências de suas faltas. Yoma 86a interpreta a sentença que diz “Ele cancela a punição para o penitente, mas não para o impenitente.” Há limites para a misericórdia de Deus.
Estes atributos de Deus têm sido material de discussão entre os estudiosos Judaicos desde o dia em que o Filósofo Maimoides afirmou que os atributos somente mostravam que Deus era ‘inconhecível.’ Nós não podemos realmente conhecer o que e como Deus é; os atributos, ele disse, interpretam as ações de Deus, não o modo de ser de Deus (Plaut, 664).
NOTA: DEUS É AMOR: BONDADE E FIDELIDADE DIVINAS = SL 136: 1
O soberano amor redentor é uma faceta da qualidade que as Escrituras chamam de bondade de Deus (SI 100.5; Mc 10. isto é, a gloriosa benevolência e generosidade que alcança todas as suas criaturas (SI 145.9,15-16), e que deve levar todos os pecadores ao arrependimento Rm 2.4).Outros aspectos dessa bondade são a piedade que mostra benevolência às pessoa em angústia e as livra de sua dificuldade (SI 107; 136) e a paciência que não suspende a benevolência em favor daqueles continuam em pecado =(Ex 34. 6 = SI 78.38; = Jo 3.10 = 4.11; Rm 9.22; = 2 Pe 3.9).A suprema expressão da bondade de Deus é amor que salva os pecadores que só merecem a condenação; salva-os, além disso, à custa da morte de Cristo no Calvário = (Rm 3.22-24; = 5.5-8; = 8.32-39; = Ef 2: 1- 10: = 3.14-18; = 5,25-27). A fidelidade de Deus é outro aspecto de sua bondade. As pessoas mentem e faltam com sua palavra; Deus, porém, não f nem uma coisa nem outra. Nas piores situações, pode-se afirmar: “as suas misericórdias não têm fim… Grande é a fidelidade” (Lm 3.22-23; SI 36.5; cf. SI 89, especialmente os vs. 1-2,14,24,33,37,49). “(Mesmo quando as circunstâncias inesperadas e desnorteadoras e ameaçam esconder a sua fidelidade, ainda assim, sabemos que Deus cumpre suas promessas a nós, que cremos: “todas vos sobrevieram, nem uma delas falhou” Js 23.14).***
por Raquel Cristina

Nenhum comentário:

NO CAMPO DA MENTE É QUE NÓS NOS DECLARAMOS DERROTADOS OU VITORIOSOS.